|o clipes|

Certa vez, peguei um clipes que estava no meio das coisas da minha irmã e comecei a usar. Mas, devo explicar que não era um simples clipes. Ele veio de Itu, só pode, já que era enorme.

Um arrependimento muito grande me bateu quando usei esse “querido” clipes, pois ele marcou todas as folhas que estavam presas de tal maneira que viraram folhas de rascunho.

Se considerarmos que nós somos as folhas e o clipes é o motivo, podemos dizer que nos unimos a diferentes pessoas por causa de diferentes motivos. Então, o motivo de nos unirmos às outras pessoas modificam o que somos.

Por vezes, tomamos o motivo pelo qual nos juntamos aos outros tão grandioso que nos machucamos. Por exemplo, quando nos unimos aos outros por causa de um problema e, com o tempo, você ainda acredita na relevância dele, mas as outras pessoa não, então você se machuca.

Já em outros momentos, acreditamos que um motivo mínimo é o suficiente para nos unir a muitas outras pessoas, e acabamos nos perdendo. Como é o caso de uma passeata que não dá certo pela pauta não ser tão promissora.

Contudo, felizmente há o caso em que o clipes é do tamanho certo e deixa a marca certa nas pessoas. Isso é o que eu chamo de amizade, já que prende mas não aprisiona, já que marca mas não machuca.

Você tem sido preso pelos clipes certos?

Boa tarde!

Anúncios

|o futebol|

Assistindo a copa do mundo notei quão importante é esse evento no quesito de tentar unir nações que muitas vezes não são muito amigas.

Não quero dizer que as nações se tornaram melhores parceiras por causa dos jogos. Só penso que todo mundo se uniu por causa de um esporte em comum, por causa de algo tão simples. E que, muitas vezes, por causa desse contato internacional nasceram amizades e um maior interesse em conhecer outro país, outra cultura.

A páscoa deveria ser uma festa para celebrar ressurreição de Cristo. Contudo, com o decorrer do tempo e com o capitalismo vigente, ovos de chocolate e coelhos fofos corromperam o real significado dessa data.

Creio que a mudança de postura perante essa data não tenha matado totalmente o significado que ela representa para os cristãos (estando inclusa no pacote). Pois se a boca falar do que o coração está cheio, e tivermos fé que a ressurreição existiu, esse evento nunca morrerá.

Entretanto, eu sei que muitas pessoas não creem em Jesus, nem no cristianismo, nem em crença alguma. Então acredito que a entrada do coelho da páscoa e do ovo de chocolate seja importante por esse ponto de vista.

Isso, pois, a páscoa deixa de fazer parte de um mero feriado e começa a unir as pessoas. Esse feriado acaba amolecendo o coração de muita gente pelo fato de envolver crianças, pelo fato de haver um planejamento para o esconderijo do ovo, pelo fato de haver uma preocupação se Fulano gosta de ovo crocante ou meio amargo.

Nesse período do ano, muitas pessoas no trabalho se unem para fazer amigo chocolate ou amigo ovo de páscoa. O que é bom para o relacionamento da equipe.

Em suma, independente da crença do ser humano, não há como negar que, por mais de todas as dificuldades que os brasileiros têm, nós nos unimos nessa época do ano e, assim como na copa do mundo, por causa de algo simples.

Obs.: não quero aqui matar o significado da páscoa para os cristãos, só gostaria da sua tolerância perante pessoas que são livres para escolher onde depositar a sua fé.

Bom dia.

|as algemas|

Nunca fui presa por delinquência, mas posso dizer que eu sou uma detenta.

É “engraçado” ver como as tecnologias unem mais as nossas próprias mãos e distanciam as nossas mãos das mãos de outras pessoas. Cada vez mais, o mundo nos prende em nós mesmos e nos faz dar menos valor ao que antes era sagrado.

Posso dizer que eu estou algemada, muitas vezes, pelo meu celular ou pelo controle  da televisão, o que faz de mim meio idiota, já que há tantas pessoas tentando se livrar de algemas reais e eu presa a uma invisível.

Há algemas antigas também, o relógio é uma delas. Esta prende os olhos ao pulso e regram tudo o que devemos fazer, já que tempo sempre foi dinheiro, não é mesmo?

Outras algemas que existem são aquelas as quais luto para ser presa. A primeira, é a que me prende a um lápis e que me ajuda a escrever. A segunda, é quando tenho que juntar as mãos para quebrar um ovo e poder fazer um bolo aos meus familiares. A terceira, é aquela quando junto meus braços para poder ler um bom livro. A quarta… Enfim, vocês entenderam.

Como hoje é ceia de natal, e eu estou mais uma vez presa ao meu blog, desejo que vocês criem algemas com quem vocês amam nessa data. Como se fosse aquele programa “Acorrentados”, que passava na Globo, que possamos depender somente das pessoas ao nosso redor, tirarmos assuntos do nada para falar com nossos parentes e sermos dependentes de pessoas e não tecnologias. Só por uma noite (como diria o Charlie Brown Jr.).

Uma noite abençoada para vocês e feliz natal!